Mandela: o líder que ajudou a erradicar a poliomielite em África

O então Presidente do Rotary, Luis Giay, oferece um pin do programa PolioPlus a Nelson Mandela no lançamento da campanha ‘Kick Polio out of Africa’ na África do Sul, 1996 © Cortesia do Rotary International, com a autorização da Fundação Nelson Mandela

É impossível explicar a erradicação da poliomielite da Região Africana sem falar na campanha ‘Kick Polio Out of Africa’ (Chutar a Poliomielite para Fora de África). Lançada em 1996 pelo líder africano Nelson Mandela com o apoio do Rotary, esta campanha foi um momento decisivo para a erradicação da poliomielite em África. Transformou atitudes, estimulou financiamento e mobilizou governos e populações de forma global. O seu impacto foi, e continua a ser, sem precedentes.

Profissionais de saúde com caixas estampadas com o slogan ‘Kick Polio out of Africa’ durante um dia nacional de vacinação na Côte d’Ivoire, 1996 © Cortesia do Rotary International

No final da década de 1990, inúmeras bolas de futebol estampadas com o slogan da campanha ‘Kick Polio out of Africa’ rolaram por recreios escolares, campos poeirentos e grandes estádios de África. Em cada jogada, era uma forma diária de relembrar a importância de parar a terrível doença. A campanha para a erradicação da poliomielite estava por todo o lado e foi adoptada pelos africanos com o mesmo nível de entusiasmo que normalmente dedicam a um jogo de futebol.

 

No início da década, este nível de compromisso era praticamente inimaginável. Apesar do compromisso mundial com a erradicação assumido pela Assembleia Mundial da Saúde em 1988, o progresso em África estava fragmentado. Alguns países tinham alcançado grandes avanços, suportados por robustos programas de vacinação de rotina já implementados. Quase todos estavam a combater outras prioridades nacionais de saúde. A poliomielite estava presente na maioria dos países africanos, paralisando cerca de 75 000 crianças em todo o continente por ano.

Tudo isto mudou em 1996. Primeiro, em Julho, numa cimeira da Organização da Unidade Africana (que mais tarde se tornaria a União Africana) realizada nos Camarões, os chefes de Estado de todo o continente adoptaram de forma unânime a ‘Declaração de Yaoundé’ que visava a erradicação da poliomielite em África. A poliomielite passou de uma questão muitas vezes ignorada nas agendas nacionais a um assunto de importância transcontinental.


Em seguida, a poliomielite assumiu um lugar de destaque mundial quando o Rotary International abordou Nelson Mandela, na altura Presidente da África do Sul e um símbolo de esperança para todo o continente. Em Agosto de 1996, Mandela, juntamente com o Presidente do Rotary Luis Giay, lançou a campanha “Kick Polio Out of Africa”. Após alguns meses, todos os países tinham aderido e o financiamento de doadores começou a disparar. Mandela conseguiu transformar a união e o compromisso alcançados em Yaoundé num movimento popular que reuniu não só políticos e agências de saúde, mas também a população em geral, desde estrelas de desporto a jovens e crianças.

A campanha ‘Kick Polio out of Africa’ conduziu a uma mudança de atitude face à erradicação da poliomielite em todo o continente, na sequência da qual todos os chefes de Estado apoiaram jornadas nacionais de vacinação. Além disso, mobilizou governos e populações inteiras”, afirma o Dr. Deo Nshimirimana que trabalhou no programa de erradicação da poliomielite da OMS durante vários anos e que já ocupou a posição de Director de Vacinação e Vacinas do Escritório Regional da OMS para a África.

Graças ao financiamento de doadores, os governos puderam dedicar a sua energia e recursos à organização de estratégias de erradicação altamente eficazes, que permitiram que as equipas do programa de luta contra a poliomielite conseguissem rápidos avanços. Na época, o Dr. Pascal Mkanda, Coordenador do Programa de Erradicação da Poliomielite da OMS para a Região Africana, estava a trabalhar com o ministério da Saúde do seu país natal, o Maláui. “Começámos a registar cada vez menos casos de poliomielite depois de termos verdadeiramente começado a realizar estas campanhas”, afirma. Segundo Mkanda, “foi nesse momento que percebemos que era algo que podíamos fazer, que era possível erradicar a poliomielite”.

 

A dinâmica da campanha perdurou até à década de 2000, impulsionando esforços no sentido da erradicação da poliomielite e outras prioridades de saúde pública. Há muito que as bolas de futebol deixaram de rolar, mas a esperança despertada pela campanha ‘Kick Polio Out of Africa’ permanece intacta. Quando há vontade política, até o inimaginável é possível de alcançar.

 

Nas palavras de Mandela: “Quando as pessoas estão determinadas, não há nada que não possam superar”.

Nelson Mandela dá uma dose da vacina oral contra a poliomielite a uma criança no lançamento da campanha 'Kick Polio out of Africa' na África do Sul, 1996 © Cortesia da GPEI, com a autorização da Fundação Nelson Mandela

Galeria da campanha 'Kick Polio out of Africa' de Nelson Mandela

Uma vacinadora voluntária carrega uma carrinha com caixas térmicas ‘Kick Polio out of Africa’ durante um dia nacional de vacinação no Gana, 1997 © Cortesia do Rotary International

Profissionais de saúde com caixas estampadas com o slogan ‘Kick Polio out of Africa’ durante um dia nacional de vacinação na Côte d’Ivoire, 1996 © © Cortesia do Rotary International

Salum Said, de 14 anos, que ficou paralisado das duas pernas devido à poliomielite, durante uma aula na cidade de Zanzibar, capital de Zanzibar, 1996. Em 1996, mais de 75 000 crianças ficavam paralisadas todos os anos por causa do poliovírus selvagem. © UNICEF

Slogan da campanha ‘Kick Polio out of Africa’ nas caixas de vacinação usadas durante uma campanha de vacinação sincronizada entre Angola, o Congo e a República Democrática do Congo (RDC) que abrangeu 23 milhões de crianças, 2011. © Bill & Melinda Gates Foundation

Nelson Mandela dá uma dose da vacina oral contra a poliomielite a uma criança no lançamento da campanha “Kick Polio out of Africa” na África do Sul, 1996 © Cortesia da GPEI, com a autorização da Fundação Nelson Mandela

Um profissional de saúde transporta uma caixa de vacinas estampada com o slogan ‘Kick Polio out of Africa’ para uma campanha de vacinação contra a poliomielite em Freetown, Serra Leoa, durante a qual 330 000 crianças foram vacinadas contra a poliomielite © UNICEF

Um grupo de vacinadores voluntários e supervisores deslocam-se durante o terceiro dia de uma campanha de vacinação nacional em Bamako, Mali, 2005 © Rotary International

Uma equipa de vacinadores voluntários com caixas térmicas estampadas com o slogan Kick Polio out of Africa” durante uma pausa numa campanha de vacinação porta a porta no Norte do estado de Kano em 2004, no âmbito de uma série de jornadas nacionais de vacinação após o reaparecimento de surtos de poliomielite © UNICEF

Um vacinador voluntário vai porta a porta durante uma campanha de vacinação nacional inspirada na ‘Kick Polio out of Africa’ na região de Tigray, na Etiópia, em 2004. Nesta campanha, cerca de 100 000 voluntários e profissionais de saúde vacinaram 21 milhões de crianças contra a poliomielite © UNICEF

Um cartaz da campanha de vacinação “Kick Polio out of Africa” em amárico na Etiópia © OMS

Vacinadores voluntários em Kananga, RDC, vão porta a porta e a mercados durante uma vasta campanha de vacinação nacional na República Democrática do Congo que abrangeu 11 milhões de crianças em Agosto de 2000. As t-shirts que usam têm o logótipo ‘Bouter la polio hors de la RDC’ (‘Chutar a pólio para fora da RDC’, uma adaptação do slogan da campanha em francês) © UNICEF

Uma vacinadora voluntária empilha caixas térmicas para vacinas com o slogan “Kick Polio out of Africa” em preparação para um dia nacional de vacinação no Quénia, 2004 © Cortesia do Rotary International

Scroll to Top